Seguidores

19 de setembro de 2017

Trichoglossus haematodus moluccanus

Novo casal de Lóris molucanus que se apresenta no meu pequeno zoo para reforço das próximas temporadas.
Brevemente breve descrição destas aves

Aratingas jandaya

Novo casal de Aratingas jandaya para as próximas temporadas, aves muito parecidas às Solstitialis e igualmente muito dóceis quando domesticadas.
Brevemente breve descrição sobre estas aves

Aratingas solstitialis ou Jandaia amarela

A nova época se aproxima e mais dois reforços se apresentam para as próximas temporadas:
Um belo casal de Aratingas sol ainda jovens mas já muito bonitas
Brevemente breve descrição sobre estas aves



Platycercus adscitus (Rosela azul)

Aproxima-se a nova época e os reforços não param de chegar, desta vez um belo casal de Roselas azuis. São aves ainda jovens, em que as suas cores não estão totalmente definitivas mas depois da muda ficarão excelentes.

Brevemente breve descrição sobre estas aves

1 de maio de 2015

Aves criadas á mão

Roselas omnicolor

Estas Roselas tive que as retirar já grandinhas visto que o pai começou a ficar um bocado agrecivo com elas e então tomei a decisão de as retirar. De momento estão quase independentes mas ainda estou a dar-lhes duas tomas diárias como precaução.

Red rumps opalinos

Estes Red rumps pertenciam a uma ninhada de 6 aves e estavam a ficar demasiado fraquinhos e não tive outra hipótese se não a de os retirar e cuidar deles desde a primeira semana de vida. De momento têm cerca de 3 semanas de idade.

Caturras 

Estas 3 caturras pode-se dizer que tiveram muita sorte visto que a sua mãe morreu depois de colocar o 4º ovo, ao reparar nessa situação como tenho uma chocadeira coloquei lá os ovos e nasceram 3 aves. Nos primeiros dias não foi nada fácil visto que são aves bastante frágeis com essa idade e foi preciso muito cuidado e dedicação mas como se costuma dizer que quem corre por gosto não cansa, não me posso queixar. De momento têm cerca de 2 semaninhas e vamos  ver como correm os próximos tempos.

27 de julho de 2013

Conurs de cabeça azul bebes

Quando já imaginava que esta época não iria ter nenhuma cria destas belas aves, de um momento para o outro a fêmea inicia uma postura de 4 ovos e o meu maior espanto foi quando reparei que todos estavam fecundados, mas nem tudo foi fácil. Nasceram as duas primeiras crias e só passado 3 dias nasceu outra e apareceu o outro ovo bicado, no dia seguinte reparei que a cria que estava no ovo no dia anterior, ainda não tinha nascido e estava muito fraca porque a fêmea já andava muito fora do ninho e aí o ovo arrefeceu. Como tenho uma chocadeira coloquei o ovo na chocadeira, comecei logo a ver uma reação positiva da pequena ave e acabou por nascer muito fraca. Coloquei-a numa incubadora e tem-se portado muito bem, como um dos seus irmãos era muito mais pequeno que os outros dois que nasceram primeiro optei por criar estas duas á mão enquanto as duas maiores estão com os pais.
Nesta primeira foto têm cerca de 10 dias de idade

Nesta foto têm cerca de 3 semanas

Nas fotos em baixo as aves têm cerca de 2 meses
 Na foto em cima estão as duas aves que foram criadas pelos pais nos seus primeiros dias fora do ninho.

 Nesta foto está uma das aves que foi criada á mão

Nesta foto estão as duas aves que têm sido criadas á mão

14 de abril de 2013

Jovens caturras

         E se em menos de duas semanas te nascerem 25 caturras?
         Pois é, tive essa felicidade e espero que se desenvolvam todas bem. de seguida vou deixar algumas fotos.
Caturras lutinas
 
2  caturras ópalinas e 3 cinza face branca

2 caturras albinas

2 albinas e uma face branca
( estas parece que passou por ali um tornado e arrancou-lhes as penas todas )
 
3 cinza face branca

13 de novembro de 2012

Patagônia (Cyanoliseus patagonus)

Aratinga da patagônia ou Papagaio da patagônia
 
Diferença sexual:
Não tem diferença. Apenas se detecta atravez de exame DNA
 
Tamanho:
Aproximadamente 45 cm
 
Peso:
Aproximadamente 250 Gr
 
Longevidade:
Aproximadamente 35 anos
 
Características:
Sua plumagem em geral é verde escura, a cabeça é ligeiramente amarelada e o branco que marca os lados da parte superior do peito, muitas das vezes está ausente em alguns pássaros. O centro do abdômen e as coxas são vermelhos. A parte mais baixa das costas, a região mais alta coberta pelo rabo e os lados do abdômen são amarelos. As partes externas das asas são esverdeadas, as penas primárias são azuladas, a parte superior das coxas tem nuances esverdeados, a parte de cima do rabo é verde com nuances de azul, o lado inferior do rabo é cinza, o bico é preto, o círculo ao redor dos olhos é largo e branco, sua íris é amarelada e seus pés da cor de carne. Machos e fêmeas são idênticos, mas em média, as fêmeas são menores.
 
Distribuição geográfica:
É uma ave que não corre risco de extinção e existem principalmente na Argentina, Uruguai, Chile, Ilhas Malvinas e ilhas do sul da Geórgia,
 
Reprodução:
Em média fazem no máximo 2 posturas por ano, colocam entre 2 a 5 ovos por postura e só as fêmeas chocam.

29 de outubro de 2012

Lóris ou Trichoglossus haematodus (...)

Lóris arco-íris (Trichoglossus haematodus haematodus)
(foto 1)
(foto 2)
 
Lóris Molucano (Trichoglossus haematodus moluccanus)
(foto 3)
(foto 4)
 
O lóris é a perfeita tradução para 'ave exótica, embora parente de araras, maritacas e jandaias, o pássaro é natural de ilhas da Oceania e do Sudeste Asiático. Além disso, levando-se em conta outro sentido do termo exótico, poucas espécies são tão extravagantes quanto o lóris, que exibe uma profusão de cores quase psicadélica.
A ave, contudo, não é só aparência. Ótimo como animal de companhia, muito brincalhão e ativo, o lóris herdou o temperamento de seus ancestrais, que se movimentavam intensamente em busca de alimentos na natureza. Energia não é o que lhe falta: o pássaro pula, rola, vai de um lado a outro do viveiro, anda pelas grades, faz acrobacias, não para um instante. E ainda adora assobiar.O lóris, que já é manso, pode ficar ainda mais dócil se alimentado na mão desde filhote, dos 20 dias aos dois meses de idade.Assim como o papagaio, pode repetir algumas palavras, porém, com pronúncia menos clara e som mais agudo. A habilidade só é desenvolvida se for criado isolado de outros pássaros e muito bem treinado. Por tudo isso, o lóris é destaque nos concorridos mercados de animais de estimação.
Diferença Sexual
 Não possui. Detectável apenas com o exame de DNA
Peso
 157g aproximadamente
Longevidade
 Em média 40 anos
Tamanho
 Aproximadamente 25 cm
Reprodução
          A partir dos dois anos de idade as fêmeas já podem procriar. Os machos levam três anos para iniciar o período de reprodução, que pode durar até 40 anos. A cada ninhada, a maioria dos casais de lóris coloca dois ovos, que convém ser logo levados para incubação artificial em chocadeiras, liberando as aves para a possibilidade de uma nova postura. A incubação é completada entre 23 e 26 dias e com cerca de 10 dias é colocada a anilha de identificação.
Alimentação
          O lóris é dotado de língua comprida e com ponta rugosa para, na natureza, se alimentar de pólen e néctar de flores. Em criação doméstica, entretanto, a ave deve comer papa de frutas. Há disponíveis em lojas especializadas diversas marcas de papinhas em pó, que só precisam ser misturadas com água. Troque a alimentação duas vezes por dia para não azedá-la, sobretudo nos dias mais quentes.
Instalações
     Um casal vive bem em uma gaiola com dimensões de, no mínimo, 1,50 x 0,70 x 0,70 metro. Dentro, coloque 2 poleiros e um ninho de madeira de 45 x 25 x 25 centímetros. Faça furos na base do ninho para escoar as fezes líquidas dos filhotes e evitar que eles sofram hipotermia com o acumulo do material.
       A gaiola deve ser instalada em local onde receba sol de manhã. Como o lóris é originário de regiões quentes, a espécie não tolera temperaturas abaixo de 5 graus célcius. Evite ambientes com excesso de humidade ou muito secos (abaixo de 30% de humidade), o que leva a diminuir a eclosão de ovos.
Subespécie
        Trichoglossus  haematodus haematodus (foto 1 e 2), Trichoglossus haematodus moluccanus (foto 3 e 4), Trichoglossus h. rosenbergii, Trichoglossus h. micropteryx, Trichoglossus h. caruleiceps , Trichoglossus h. nigrogularis, Trichoglossus h. massena, Trichoglossus h. flavicans, Trichoglossus h. nesophilus, Trichoglossus h. deplanchii, Trichoglossus h. septentrionalis, Trichoglossus h. rubritorquis, Trichoglossus h. flavotectus, Trichoglossus h.capistratus, Trichoglossus h. weberi, Trichoglossus h. fortis, Trichoglossus h. mitchellii, Trichoglossus h. forsteni, Trichoglossus h. djampeanus e Trichoglossus


2 de outubro de 2012

Periquito Barraband (Polytelis Swainsonii)

     O nome comum desta ave á Periquito Barraband ou papagaio suberbo, é originário do sudeste Australiano e tem uma dimensão aproximadamente entre 40 a 42 cm.
     O Barraband é uma espécie de papagaios do género Polytelis, todas as aves deste genero são suaves, amigáveis e coloridos. No entanto são as espécies mais ameaçadas do género Polytelis, são listados como espécies vulneráveis, uma vez que estes papagaios habitam nas terras abertas da Austrália, mas hoje em dia podem apenas ser encontrados no extremo sul-oeste deste continente.
    Normalmente reproduzem-se facilmente em cativeiro, fazem posturas de 3 a 6 ovos e o periodo de incubação vái de 22 a 25 dias.
     A sua alimentação é a normal mistura de papagaios embora eu prefira a de caturras em que eles se adaptam bem.
      Atingem a sua maturidade ao fim de dois anos de idade e é nesta altura em que se consegue distinguir bem os sexos, em que o macho apresenta face amarela e um colar vermelho.
Macho Barraband
 
 Casal de Barrabands

2 de agosto de 2012

Canários 2012

      Este ano e como português que sou, optei por adquirir alguns exemplares de Arlequins. É um canário que gosto bastante mas que infelizmente na minha zona não lhe é dado o devido valor, talvez por sorte ou não foi onde obtive os melhores resultados. No inicio da época tinha como meta as 100 aves, mas depressa perdi a esperança devido a demasiados ovos brancos e a demasiadas mortes prematuras onde me culpo nesta parte porque nesta altura é preciso muita atenção e muitos cuidados com as aves e quando se tem pouco tempo é dificil. 






10 de maio de 2012

Red Rumpeds de 2012

Red rumped ópalino pastel macho
Muito bonito este exemplar, foi pena só ter nascido este nesta ninhada

 Red rumpeds ópalinos e lutinos
Nesta ninhada são 4 aves, os pais são os que estão no fundo na rede, os filhotes são 2 belos lutinos e 2 ópalinos fêmeas, uma delas fugiu da fotografia.

Red rumpeds ópalinos
Nesta ninhada são 3 ópalinos machos, dois deles pastel e um verde normal.

Red rumpeds ópalinos azuis
Nesta foto apresenta-se á esquerda o pai babado dos seus filhotes que são 5 mas nem todos se colocaram a jeito da fotografia.

Red rumpeds albinos
Depois de algumas trocas de ninho estas belas aves encontraram pais adoptivos excelentes, visto que os seus pais verdadeiros infelizmente depois de as aves eclodirem são praticamente rejeitadas e então tenho que optar por trocá-los de ninho para que se vinguem.